Resultados…

Defesas2013.1

Mas e os resultados?!
Já deveria ter colocado isto por aqui há mais tempo. É parte (coisas de 2013) do resultado de meu tempo como professor, coordenador de curso e orientador de trabalhos de conclusão de curso nas Faculdades Integradas Barros Melo.

Meus orientandos e seus Trabalhos de Conclusão de Curso 2013.1
Felipe Semente A Sobrado: Uma noite no Recife
(Jogo de Tabuleiro)
Milena Carneiro Pela toca do Coelho
(Jogo de Tabuleiro)
Paloma Campos O Pequeno Príncipe: A jornada
(Jogo de Tabuleiro)
Regildo Fernando Tracks: Criação de um revista para tablets
(Adobe DPS)
Kaliana Pinheiro Portfólio digital para tablets: Empresa Maga
(Adobe DPS)
Jefferson Alípio Design editorial e design de interação para criação da revista interativa “Touch Magazine”
(Adobe DPS)
Vicente Jr. RefDesign.com.br
(Web Design)

Abaixo, alguns registros das defesas e dos artefatos de design apresentados pelos novos designers.

TCC_jefferson
Defesa de Jefferson.

TCC_Kaliana
Defesa de Kaliana.

Portfolio from Kaliana on Vimeo.


TCC_gilFernando
Defesa de Gil Fernando.

Tracks Magazine from (Gil) Fernando Oliveira on Vimeo.


M. Sc.

“M. Sc.” Após uma longa espera, um objetivo finalmente foi concretizado…

Aos dezesseis dias do mês de dezembro de dois mil e onze, na sala nº 05, do Departamento de Design, no Centro de Artes e Comunicação - CAC, sob a presidência do Prof.º Hans da Nobrega Waechter, reuniu-se a Comissão Examinadora, aprovada na Reunião Ordinária do Colegiado do Programa de Pós-Graduação em Design da Universidade Federal de Pernambuco, realizada em 16 de novembro de 2011 e homologada pela Pró-Reitoria para Assustos de Pesquisa e Pós-Graduação da UFPE (Processo XXXXX.XXXXXX/XXXX-XX), composta pelos professores TITULARES: Pertencentes ao Programa: Profº Hans da Nobrega Waechter (Doutor, Universidade Autônoma de Barcelona, UAB, Espanha) - Departamento de Design da UFPE; Profº Walter Franklin Marques Correia (Doutor, Universidade Federal de Pernambuco) - Departamento de Design da UFPE; Externo ao Programa: Profº José Luis Simões (Doutor, Universidade Metodista de Piracicaba) - Departamento de Métodos e Técnicas de Ensino - Universidade Federal de Pernambuco. Atuaram nesta sessão como examinadores os professores Hans da Nóbrega Waechter, Walter Franklin Marques Correia e José Luis Simões. Às 14:00 horas, o Professor Hans da Nóbrega Waechter, orientador do aluno, abriu a sessão de defesa de dissertação do mestrando FÁBIO CAPARICA DE LUNA, sob o título: "Design da Informação e de Interfaces: Atendendo necessidades de percepção na interação Tutor-Aprendiz em plataformas de gestão de aprendizagem". Após exposição do candidato e argüição pelos membros da Banca, por decisão da Comissão Examinadora, o aluno foi aprovado. Nada mais havendo a tratar foi encerrada a sessão da qual eu, Sara Nunes do Amaral, Secretária do Programa de Pós-Graduação em Design da UFPE, lavrei a presente ata que vai por mim assinada, pelo aluno e pelos membros da Banca.
Recife, 16 de dezembro de 2011.

Que venham os próximos desafios! 😉


22/08/2013 – Update:

O documento depositado na Biblioteca da UFPE pode ser acessado aqui:

Design da Informação e de Interfaces: Atendendo necessidades de percepção na interação Tutor-Aprendiz em plataformas de gestão de aprendizagem

Teoria do Desenvolvimento e Aprendizagem de Vygotsky

Algumas anotações soltas e superficiais sobre um tema bastante complexo…

Vygotsky

A teoria de Vygotsky tem em vista o papel do social no desenvolvimento mental. Um exemplo disso é o papel da educação, do professor e da aprendizagem. Descrevendo assim as funções psicológicas superiores, como a auto-observação, a intencionalidade, o planejamento, a capacidade de pensamento abstrato e a meta-cognição o que possibilita o indivíduo ser capaz de pensar sobre seu próprio pensamento.

As bases de sua teoria mostram que as funções psicológicas fundamentam-se na atividade cerebral, assim como, a cultura, que faz parte da natureza humana através de um processo histórico. Assim o que nos torna humano é o poder de usar instrumentos simbólicos, os símbolos então seriam mediadores quando nos expressamos. Dessa forma, atingimos o processo de internalização possibilitando-nos transformar marcas externas em processos internos de mediação.

Em sua teoria a linguagem é capaz de transformar os rumos de nossa atividade. Deste modo, ao aprendermos uma linguagem em nosso meio, mudamos radicalmente os rumos de nosso próprio desenvolvimento. No desenvolvimento de uma criança, por exemplo: a fala interior desenvolve-se mediante o acúmulo lento de mudanças estruturais e funcionais, tornando-se estruturas básicas de seu pensamento. A linguagem assume a função de refletir o mundo exterior, planejar e determinar o curso de uma ação.

Vygotsky divide seu modelo genético em quatro planos:

  • Filogênese refere-se ao desenvolvimento de uma espécie, através do conjunto de experiências dos seus ancestrais, que afetam as gerações vindouras.
  • Ontogênese refere-se ao desenvolvimento relativo ao desenvolvimento natural de um organismo, desde seu nascimento até a fase adulta.
  • Sociogênese é o tipo de desenvolvimento mais abrangente, que envolve toda a história da espécie, levando em conta seus aspectos culturais e sociais. Este tipo também é conhecido por desenvolvimento sócio-histórico.
  • Microgênese é o tipo de desenvolvimento imediato e que age na individualidade de cada ser.

A teoria de Vygotsky focaliza o desenvolvimento cognitivo como resultado da interação social, diferente de outros teóricos como Piaget, que traz apenas o enfoque individual. Vygotsky trabalha numa perspectiva interacionista, ou seja, o conhecimento nem é inato, nem tampouco recebido pronto e acabado, é construído num contexto histórico sócio-cultural. E isto se dá exatamente através das interações sociais.