Metodologia e Pesquisa Científica

 

Este é um texto mais ou menos arrumado que eu tenho aqui guardado já a muito tempo… Mesmo sem considerá-lo 100%, vai pro ar.

Depois de já passado algum tempo, acredito que já consiga falar do assunto sem soltar piadinhas.

Começando do começo – pra falar de Metodologia e de Pequisa científica – primeiro temos de entender o que é esta tal Ciência

Ciência, diz respeito a um processo investigativo, focado na descoberta da verdade. Ou a uma ‘massa’ de conhecimento reunida por esta investigação.

Mas o que é "Conhecimento" mesmo?

O Conhecimento, lá na Wikipedia, é o "conjunto das descrições, conceitos, teorias, hipóteses, princípios e procedimentos que são ou úteis ou verdadeiros". Apesar de deixarem claro que o conceito de conhecimento não se limita apenas a este conjunto, me é um pouco incomodo perceber que não levam em consideração – pelo menos isto não está sendo declarado – a idéia de que a utilidade e a veracidade das coisas são relativas.

Enfim, vamos em frente…

A Ciência seria o conjunto de conhecimentos que incluem verdades gerais obtidas e testadas através de um método científico. O método científico, por sua vez, é um conjunto de regras básicas para se conduzir um experimento ou uma experiência, com o objetivo de produzir conhecimento, bem como evoluir ou corrigir conhecimentos previamente estabelecidos. Fundamenta-se em reunir evidências baseadas na lógica e na razão.

São características do método científico, entre outras coisas: A proposição de hipóteses para esclarecer fenômenos; O uso de experimentos que busquem confirmar estas hipóteses; A formulação de teorias; a necessidade de objetividade no processo; A busca por imparcialidade por parte do pesquisador.

No método científico, se espera que exista documentação de todo o procedimento metodológico – e não apenas dos dados ou resultados obtidos – para que a confiabilidade dos resultados possa ser garantida e que os experimentos possam ser reproduzidos por outros pesquisadores.

Toda hipótese deve permitir ser refutada. Mesmo que exista consenso sobre uma hipótese ou teoria, é necessário manter a possibilidade de que esta possa ser negada. É a falseabilidade, – uma das características mais importantes do método científico – que está ligada a idéia de uma teoria nunca é definitiva.

É possível listar três estados de validade para uma afirmação dentro do conhecimento científico. A cada uma delas, podemos perceber uma evolução na que lhe precede:

Hipotótese
Uma suposição admissível, uma teoria provável mas ainda não demonstrada. Explicações hipotéticas fundamentadas nas observações e nas medidas.
Tese
Quando uma hipótese passa a ser suportada por fatos, porem sem ser ainda confirmada ou testada por pesquisas independentes.
Teoria
A organização de idéias e conceitos que explicam um conjunto de fenômenos (ou leis) que podem ser testado por meio de experiências reprodutíveis.

Acredito que este meu texto – que na verdade não passa de uma (re)organização de idéias – pode ser bastante útil pra quem está entrando no universo da pesquisa científica. E talvez até caiba bem neste momento um glossário rápido com alguns outros termos que são relacionados com todo este assunto.

Verdade
"É a realidade, como ela é." Mas há quem afirme que uma mentira repetida por muitas vezes passe a virar uma verdade. [:P]
Modelo
É a descrição de algo, uma abstração, especificamente algo que possa ser usado para elaborar hipóteses que possam ser verificadas por experimentos ou observações. Ex: Modelo Atomico de Bohr.
Lei
No sentido cientifico, seria uma regra que descreve um fenômeno que ocorre com uma certa regularidade. Seria o enunciado de uma verdade científica, assim compreendida no âmbito de um paradigma científico. Ex: Primeira Lei de Newton.
Paradigma
A representação de um padrão de modelos a serem seguidos. Um conhecimento que origina o estudo de um campo científico. Uma referência inicial como base de modelo para estudos e pesquisas.
 

Quem puder acrescentar algo, pode mandar ver no espaço para comentários.

Outras fontes?

Bugzilla para não programadores

 

Bug-Ant

Uma das ferramentas mais importantes para quem trabalha em grandes projetos é a ferramenta que permite controlar (rastrear, monitorar, etc) os Bugs e as suas correções. Existem vários softs específicos para esta tarefa, mas os que já trabalhei ou ví funcionando de perto são: Bugzilla e o Trac.

Encontrei, muito por acaso mesmo, um guia prático e rápido do uso do Bugzilla para quem não é programador… Logo abaixo, segue um fluxograma do ‘ciclo de vida‘ de um Bug dentro do Bugzilla.

Visto no Spread Firefox.

Ciclo de vida de um Bug no Bugzilla

Como eu blogo?

O Fábio Seixas iniciou esta semana que passou um Meme interessante: Como eu Blogo?

Só quando li no post do Gilberto Jr um comentário que falava em metodologia é que me liguei que também tenho meus ‘métodos’.

Antes mesmo de ter um blog, logo que passei a acessar internet (1995? ou 1996?) eu já tinha esta compulsão que me fazia navegar e navegar. Meu vício, por assim dizer, eram URLs. Como resultado deste vício, o blog terminou surgindo…

Mas a quantidade de sites que eu visito, sempre foi muito maior que a quantidade de links que eu compartilhava (por mail, afinal naquela época não existia del.icio.us ou coisas similares). E isto terminava sempre me deixando com muita coisa não publicada, literalmente guardada ‘na gaveta’ para usar em dias em que eu não tivesse tempo de procurar algo novo em folha pra colocar no ar.

screenshot-Sinistras.png
Assim era a minha lista de Drafts antes de migrar para o WordPress.

Raramente eu faço um post que não esteja associado com algo que realmente eu tenha visto/pesquisado antes na internet ou que alguém não tenha comentado ou perguntado.

Foi assim quando falei sobre rodar Mac OS X numa máquina genérica, e quando eu mesmo fiz funcionar num AMD… Tudo isto antes mesmo da Apple lançar suas máquinas Intel.

Picture 3.png
Screenshot de meu Sempron de 1,6Ghz rodando Mac OS X.

A escolha dos conteúdos que trato por aqui, como não poderia ser diferente, são relacionados com as coisas com que eu convivo… Seja no trabalho (Design, Usabilidade, etc.), seja no tempo que sobra pra saber o que acontece no mundo (Sociedade, Quadrinhos, Bizarrices, TV e Cinema, etc.).

As fontes de informação são as mais distintas que se pode pensar. Já teve post que nasceu na hora da insônia, assim como já teve post que veio de um ‘Foda-se‘… Não tenho nenhum tipo de preocupação quanto ao que dá início a idéia a ser publicada. Inclusive, não me preocupo se há ou não algo de SEO no que faço.

Acho que já deu né? Opinem…