Um “táxi autônomo voador”?

Não, obrigado…

Provavelmente sou fruto de uma geração que encararia a possibilidade de ter um carro voador de forma bem particular. Depois de anos jogando simuladores de naves espaciais e de combate como Flight Simulator (1976~2014), X-Wing (1993), Tie-Fighter (1994), Descent (1994), I’ve Found Her (2003), Battlestar Galactica (2003) e tantos outros, eu certamente gostaria de poder controlar/pilotar (pelo menos de alguma forma) a geringonça. Eu gostaria de ter o ‘prazer’ de contar com um ‘joystick‘ à minha disposição…

Mesmo sabendo que por questões de segurança a parte mais ‘crítica’ do processo de pilotagem ficasse nas mãos de toda a tecnologia embarcada, eu tenho certeza que me seria muito mais interessante a experiência de estar ali, tendo algum tipo de protagonismo.

Mais infos sobre:

Boo

Finalmente peguei a primeira cerveja das que ganhei de aniversario que abro para degustar… Boo!

#Boo

A photo posted by Fábio Caparica de Luna (@caparica1975) on

De fato, como está relatado no Review do Brejas.com, a Boo possui um aroma cítrico além de ser um pouco turva…

#Boo

A photo posted by Fábio Caparica de Luna (@caparica1975) on

Gostei do presente!